• Aumentar o tamanho da fonte
  • Tamanho padrão da fonte
  • Diminuir tamanho da fonte
O CIMJ passou a integrar, com o CECL, o Pólo CIC.Digital da FCSH, agora em fase de institucionalização.

Revista Media & Jornalismo nº 7 - Comunicação Política

Este número de Media & Jornalismo é inteiramente dedicado à comunicação política. A sua publicação coincide com um período em que a sociedade portuguesa se prepara para escolher o seu mais alto representante na chefia do Estado, o Presidente da República, cuja eleição terá lugar no início de 2006, após ter sido chamada a escolher os seus representantes locais. A comunicação política, o papel dos media e do jornalismo na cobertura da actividade política e, em especial, das campanhas eleitorais, encontram-se amplamente estudados nos Estados Unidos e na Europa, começando a sê-lo, também em Portugal. Este número proporciona uma visão sobre alguns aspectos marcantes da investigação internacional nessa matéria, apresentando alguns resultados empíricos relativos a Portugal. A abrir este número, e num plano mais abrangente de problemáticas relacionadas com a relação entre o poder político e os media noticiosos, o texto dos investigadores norte-americanos W. Lance Bennett, Regina G. Lawrence e Steven Livingston, analisa a maneira como o Washington Post e outros grandes media nos EUA trataram a situação dos presos iraquianos detidos em Abu Ghraib, demonstrando que esses media suavizaram a acção dos militares norte-americanos, usando o enquadramento “abuso” em vez do enquadramento “tortura”, acompanhando assim a versão das autoridades oficiais. Na sequência de trabalhos anteriores sobre a guerra do Iraque, Bennett e os seus colegas mostram, uma vez mais, o peso das fontes oficiais na cobertura da actividade política nacional e internacional. O texto do investigador holandês, Kees Brant, questiona as posições que sustentam que a comercialização e a competição no audiovisual conduzem a uma diminuição da qualidade da informação política e ao enfraquecimento da democracia. O autor procede a uma revisão da investigação sobre a cobertura política da informação televisiva num conjunto de países do norte da Europa, a que junta um projecto de pesquisa inédito sobre a cobertura das eleições nos Países Baixos, concluindo que a alegada invasão do infotainment na cobertura de eleições não possui sustentação empírica. Em Portugal, Estrela Serrano compara os padrões jornalísticos usados pela televisão pública e pelos canais privados na cobertura da campanha de 2001, para a eleição do Presidente da República. O artigo parte da expectativa de que o canal público constitui uma alternativa aos canais comerciais, submetidos à tirania das audiências para obtenção de lucro. Contudo, a análise não revela diferenças significativas entre os três canais. O artigo de Susana Salgado mostra como, noutros tempos, se realizava a mediação e como os governantes comunicavam com os seus governados. O objectivo é tentar compreender as actuais relações entre media e política com a ajuda do conhecimento do passado. Acompanhando a discussão de alguns autores acerca da intencionalidade das manifestações de poder, a autora defende a ideia de que a construção da imagem dos líderes políticos não acontece apenas nos nossos dias e que o recurso aos media sempre foi uma forma privilegiada de transmitir imagens e mensagens políticas. O artigo das investigadoras brasileiras Luísa Luna e Rousiley Maia analisa a imagem mediática de Lula nas campanhas eleitorais de 1989 e de 2002, veiculada pelos tempos de antena do candidato, problematizando os recursos para a constituição e administração de sua imagem. As autoras debruçam-se, em especial, sobre as propostas apresentadas pelo PT de Lula, para “tematizar a mudança” do candidato na campanha de 2002 e justificá-la e/ou validá-la no campo de disputa de sentidos presente nos media. A encerrar os artigos deste número da Revista surge, na rubrica Ensaio, um texto de Serge Tisseron em que o autor analisa o telejornal enquanto dispositivo em que os jornalistas procuram, subconscientemente, convencer os seus espectadores de que eles, jornalistas, controlam os ameaçadores acontecimentos que relatam. Numa perspectiva psicanalítica, Tisseron sustenta que o apresentador do telejornal se pauta pelo desejo de dominar a informação e de convencer o público do seu poder. Exemplos retirados de telejornais da televisão francesa são usados para sustentar esta tese. Recensões sobre obras recentes relacionadas com o tema central da revista encerram o número oito de Media & Jornalismo.

A Direcção

Artigos

Evitar a palavra tortura. Os media norte-americanos e o enquadramento político de Abu Ghraib
Lance Bennett, Regina G. Lawrence, Steven Livingston

Quem tem medo do infotenimento?
Kees Brants

A campanha eleitoral de 2001 na televisão, revisitada: análise comparada do serviço público e dos canais privados
Estrela Serrano

A comunicação do poder ou o poder da comunicação
Susana Salgado

A construção da imagem pública e a disputa de sentidos na mídia: Lula em dois momentos
Luísa Luna e Rousiley Maia

A informação na televisão: dominar imaginariamente o mundo e convencer simbolicamente do seu poder
Serge Tisseron, [ensaio]

Recensões

João Carlos Correia, Wilson Gomes (2004) Transformações da política na era da comunicação de massa

Cristina Ponte, Stuart Allan, (Ed.). (2005). Journalism: Critical issues

João Carlos Correia, António Albino Canelas Rubim (Org.) (2005) Comunicação e Política: Conceitos e Abordagens

 

NOTÍCIAS

Programa Born from Knowledge
O Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (MCTES) promove o programa Born from Knowledge, através do qual se associa ao Web Summit. O programa reúne um conjunto de iniciativas, entre...
Aquele outro Mundo que é o Mundo - Bolsa de criação jornalística
Estão abertas as candidaturas para a atribuição de uma bolsa de criação jornalística que visa promover condições para a realização de uma experiência de reportagem sobre temas relacionados com o Desenvolvimento. “Aquele...

CALLS

Extended Deadline - CFP - Special Track “Digital games in Assistive Environments” in TISHW 2016 - (27 junho 2016)
In recent years, there has been increasing interest in applying digital games to such contexts as healthcare, sports, occupational therapies and rehabilitation. Although much has been debated about its use in...
I Seminário de História da Comunicação - Universidade do Minho | 25 de outubro de 2016
Termina no dia 15 DE JUNHO o período de submissão de propostas ao I Seminário do GT de História da Comunicação da Sopcom, que o CECS organiza na Universidade do Minho....

EVENTOS

Apresentação do livro 'Gender in focus: (new) trends in media' 7 de junho, Braga
O livro 'Gender in focus: (new) trends in media', editado por Carla Cerqueira, Rosa Cabecinhas e Sara I. Magalhães, que explora as interrelações e negociações entre comunicação (mediática) e género, sobretudo...
PLUNC 2016
OPEN CALL - PLUNC 2016 - Festival de Novos Media e Artes Digitais. A segunda edição do PLUNC vai ser realizada de 29 de Setembro a 2 de Outubro, nas zonas...