• Aumentar o tamanho da fonte
  • Tamanho padrão da fonte
  • Diminuir tamanho da fonte
O CIMJ passou a integrar, com o CECL, o Pólo CIC.Digital da FCSH, agora em fase de institucionalização.

Revista Media & Jornalismo nº 1

Este primeiro número de Media & Jornalismo afirma-se na diversidade dos temas dos seus artigos, metodologias e reflexões, como o fórum que se propõe ser, um espaço promotor de discussão qualificada não só na comunidade académica mas também entre todos os que se interessam pelos media e pelo jornalismo nas sociedades contemporâneas.

Revista do Centro de Investigação Media e Jornalismo (CIMJ), esta publicação bianual assenta numa estrutura aberta de artigos, entrevistas, debates temáticos e recensões e num formato que a torne economicamente acessível. Pretende assim combinar uma variedade de conteúdos e constituir um elemento de reflexão e debate na vasta comunidade interessada pelos media e jornalismo, nela incluindo investigadores e estudantes do ensino superior não só de licenciaturas e pós-graduações em Comunicação mas também de campos como a Sociologia, a Antropologia, a Ciência Política, a História, a Psicologia Social, os Estudos Linguísticos e Culturais, a Economia, entre outros.

As primeiras páginas de Media & Jornalismo são ocupadas com um artigo de Eduardo Meditsch sobre o jornalismo como conhecimento. A perspectiva epistemológica que o autor explora neste artigo, no seguimento de trabalhos seus, visita linhas de pensamento sobre o jornalismo, algumas tão antigas quanto a própria história do seu estudo. Defende Meditsch, com base em contributos vários, das Teorias da Argumentação às Ciências Cognitivas, que o jornalismo é uma forma de conhecimento. O artigo apresenta algumas das suas características, problemas, potencialidades, efeitos e também responsabilidades desse enquadramento.

O ensaio de João Pissarra Esteves centra-se no conceito nuclear de poder e aprecia de forma crítica o pensamento da teoria sistémica e a perspectiva ontológica de Hannah Arendt. A relação poder-comunicação, baseada na perspectiva pragmática que propõe, realça a performatividade discursiva, a relação entre discurso e contexto da sua realização, a indissociabilidade entre conteúdo e forma discursiva. A principal referência deixa de ser o sistema político em sentido estrito para se alargar aos indivíduos enquanto membros de uma comunidade política, sujeitos de discursos e participantes de públicos. Assim se expressa neste texto a atenção que o autor tem vindo a dedicar ao estudo das identidades.

O artigo de Nelson Traquina explora a hipótese teórica dos jornalistas constituírem uma comunidade interpretativa transnacional, que partilha valores notícia e possui quadros de referência comuns. Recorre para tal a um estudo de caso, uma análise de três meses da cobertura jornalística da SIDA, tema que tem estudado, em jornais de quatro países (Portugal, Espanha, EUA e Brasil). Essa análise revela a existência de semelhanças quanto ao que ‘foi notícia’: o factor tempo, a atenção a escândalos, o domínio de ‘histórias em desenvolvimento’, a notoriedade, a proximidade geográfica, o conflito e controvérsia.

Noutra análise comparada, Cristina Ponte, que tem estudado a noticiabilidade de crianças, mostra como a mesma matéria noticiosa (um nascimento com intervenção da ciência genética) é apresentada de formas semelhantes e diferentes em cinco jornais europeus de qualidade. O tratamento desta notícia de ciência revela coincidência no destaque concedido mas contraste de opções editoriais, entre uma orientação pela emoção e ‘interesse humano’ e uma cobertura mais interpretativa por parte de profissionais conhecedores, capazes de ligar, sob a pressão do tempo, o evento à sua problemática.

A possível relação entre o crescimento da abstenção eleitoral e as formas como são cobertas as campanhas políticas constitui o ponto de partida do artigo de Estrela Serrano, no seguimento de trabalhos seus sobre as relações entre media e democracia. Centrada na campanha presidencial de 2001, a autora aprecia por que linhas se organizou a cobertura em jornais e noticiários televisivos e que temas foram privilegiados. Identifica homogeneidade entre meios, tendências para associar temas de agenda social a candidatos com menor expressão eleitoral e para enfatizar a ideia de ‘jogo’ entre contendores. Atribui ainda responsabilidades não só aos media mas também aos candidatos e seus conselheiros.

A primeira entrevista de Media & Jornalismo, a cargo de José Carlos Abrantes, apresenta-nos o investigador francês Daniel Dayan, o seu percurso académico, o seu profundo interesse pelo cinema e pelos seus olhares, o encontro com Elihu Katz e a riquíssima colaboração investigativa que daí nasceu e que está na base dos estudos sobre acontecimentos mediáticos. A agenda da conversa leva-nos também às relações entre a pesquisa comunicacional norte-americana e europeia, aos estudos da recepção, à reflexão sobre o lugar de uma televisão cultural nas sociedades contemporâneas.

Por seu lado, o tema em debate neste número incide sobre os fogos florestais, (quase) inevitáveis na agenda de Verão. As intervenções da mesa-redonda organizada por Mário Mesquita dão conta de diferentes olhares sobre este tema: centrados no seu agendamento e tratamento jornalístico genérico (Anabela de Sousa Lopes, Mário Mesquita), no ritmo da sua cobertura (Fátima Campos Ferreira), nas dissonâncias de expectativas entre jornalistas e fontes institucionais (Gisela Oliveira), na sua imersão na cultura mediática contemporânea (José Luís Garcia).

Recensões sobre obras recentes neste campo completam o primeiro número desta revista, que se deseja aberta a colaborações do meio académico e profissional, correspondendo assim ao propósito para que foi criada: constituir um espaço de debate e divulgação da pesquisa e reflexão realizada sobre os media e o jornalismo dentro e fora do país.

A Direcção

Revista completa

Mesa-Redonda

José Luís Garcia, O fogo e a cultura pan-mediática contemporânea

Gisela Oliveira, Por uma cultura de segurança

Fátima Campos Ferreira, Distinguir a informação-serviço da informação-produto

Anabela de Sousa Lopes, As formas de agendamento

Mário Mesquita, Informação e espectáculo na luta entre a água e o fogo


Percursos

José Carlos Abrantes, Entrevista a Daniel Dayan


Artigos

Estrela Serrano, Presidenciais 2001: Temas e vozes na cobertura jornalística da campanha eleitoral 

Cristina Ponte, O nascimento de Adam Nash. Análise comparada de uma notícia de genética em seis jornais de informação geral 

Nelson Traquina, Uma comunidade interpretativa transnacional: A tribo jornalística 

João Pissarra, O poder como linguagem: A mediação política entre funcionalidade sistémica e moral comunicacional

Eduardo Meditsch, O jornalismo é uma forma de conhecimento?


Recensões

Telmo Gonçalves, Suárez, L. e Carro, M-J (1999) La opinión periodística 

Maria João Silveirinha, Esteves, João Pissarra (org.) (2002) Comunicação e Sociedade 

Estrela Serrano, Chaparro, Carlos (2001) Linguagem dos Conflitos 

Rogério Santos, Stanyer, James (2001). The Creation of Political News 

 

NOTÍCIAS

Programa Born from Knowledge
O Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (MCTES) promove o programa Born from Knowledge, através do qual se associa ao Web Summit. O programa reúne um conjunto de iniciativas, entre...
Aquele outro Mundo que é o Mundo - Bolsa de criação jornalística
Estão abertas as candidaturas para a atribuição de uma bolsa de criação jornalística que visa promover condições para a realização de uma experiência de reportagem sobre temas relacionados com o Desenvolvimento. “Aquele...

CALLS

Extended Deadline - CFP - Special Track “Digital games in Assistive Environments” in TISHW 2016 - (27 junho 2016)
In recent years, there has been increasing interest in applying digital games to such contexts as healthcare, sports, occupational therapies and rehabilitation. Although much has been debated about its use in...
I Seminário de História da Comunicação - Universidade do Minho | 25 de outubro de 2016
Termina no dia 15 DE JUNHO o período de submissão de propostas ao I Seminário do GT de História da Comunicação da Sopcom, que o CECS organiza na Universidade do Minho....

EVENTOS

Apresentação do livro 'Gender in focus: (new) trends in media' 7 de junho, Braga
O livro 'Gender in focus: (new) trends in media', editado por Carla Cerqueira, Rosa Cabecinhas e Sara I. Magalhães, que explora as interrelações e negociações entre comunicação (mediática) e género, sobretudo...
PLUNC 2016
OPEN CALL - PLUNC 2016 - Festival de Novos Media e Artes Digitais. A segunda edição do PLUNC vai ser realizada de 29 de Setembro a 2 de Outubro, nas zonas...